Na Paraíba Na Paraíba

Opinião: Governo não pode deixar que políticos tomem conta do programa “Tá na Mesa”

No mais, muito oportuna, decente e digna de aplausos a iniciativa do governador João Azevêdo fazer com que o Estado banque praticamente cem por cento dos gêneros alimentícios.

13/05/2021 07h14
171
Por: Imaculada Online Fonte: Imaculada Online
Opinião: Governo não pode deixar que políticos tomem conta do programa “Tá na Mesa”

Muito oportuna e digna e registro a iniciativa do governador João Azevêdo, de lançar um programa de segurança alimentar, o chamado de “Tá na Mesa”.

Nesta hora de extrema dificuldade para as classes desfavorecidas, nada mais digno do que se lembrar da pobreza; dos desvalidos de tudo. Afinal, a fome voltou a campear neste Brasil de hoje em que a estupidez reside em cada palavra e ação dos que governam a partir do Poder Central.

De acordo com reportagem divulgada pelo PBAgora, o governador João Azevêdo lançou o tal programa na segunda-feira (10). Serão contemplados 83 municípios paraibanos com a oferta de almoço a R$ 1,00. 

Ao todo, serão disponibilizados 552.200 almoços por mês, totalizando investimentos próprios do tesouro estadual que somam mais de R$ 4 milhões mensais. Vai matar a fome de muita gente.

Onde mora o perigo

O Governo do Estado, no entanto, precisa ter o máximo de cuidado para que as ações deste importante programa de segurança alimentar não caiam nas mãos dos políticos e dos seus cabos eleitorais; não pode permitir que sejam contemplados apenas aqueles que rezam na cartilha política de A ou de B.

È preciso lembra que estamos num ano pré-eleitoral, em que a politicagem já campeia de Norte a Sul do Estado; e que os acordos políticos já começam a ser discutidos, alguns com compromissos praticamente selados. 

Programa de grande alcance social nestas fases da política são uma mão na roda para os políticos, que geralmente trocam os benefícios por apoios e votos, no interior do Estado especialmente.

No mais, muito oportuna, decente e digna de aplausos a iniciativa do governador João Azevêdo fazer com que o Estado banque praticamente cem por cento dos gêneros alimentícios de primeira necessidade para o povo pobre da Paraíba.

Falta só…

Melhr que isso seria o Governo do Estado, oportunamente, estender este programa para todos os municípios paraibanos. 

Afinal, não há pobres e famintos apenas nestes oitenta e tantos municípios inicialmente contemplados.

 

Por Wellington Farias

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias